domingo, 26 de junho de 2016

CONTO: O patrão machão me comeu, e quis me dar o rabo tambem


Trabalhava já fazia 5 anos numa pizzaria e me dava muito bem com o dono. Aos domingos depois que fechávamos, tínhamos o costume de tomar umas cervejas , comentar da semana, trocar ideias e claro falar das fofocas, principalmente de mulheres. Normalmente ficávamos até umas duas horas e se bebíamos muito, tinha no segundo andar, 2 quartos que dormíamos caso não tivéssemos condição de dirigir.
             O dono se chamava Sérgio, tinha 50 anos, separado com 1 filho de 25 anos que morava com a mãe dele em São Paulo. Eu era recém separado e me dava muito bem com ela. Como eu falei nos contos anteriores, tive uma vida sexual bem ativa e liberal com minha ex, gostava muito quando ela me comia com um consolo que ela tinha, mas tive também algumas experiências homossexuais que foram muito gostosas. Para mim eram apenas sexo, pois eu gostava e ainda gosto é de mulher. O grande problema eram as recaídas pois sinceramente nada substitui um pênis de verdade, a sensação de ser dominado, o prazer de dar prazer a outra pessoa, enfim as sacanagens, e naquele momento eu estava passando por esse período, só não sabia como resolvê-lo.
                      Tive uma grata surpresa numa semana em que meu patrão, Sergio começou a agir de forma estranha comigo, parecia que ele me cantava, soltando piadinhas tipo, que bundinha gostosa, pernas bonitas, acho que vc gosta de linguiça grande e etc.... Falava logico somente para mim, sem a presença de nenhum funcionário e depois começava a rir. Aquilo me deixou desconfiado, mas esperei até o próximo domingo, pois sabia que ele me contaria o porquê dessas cantadas.
                  No domingo como todos os outros, após o fechamento da pizzaria, começamos a beber e falar do movimento e das curiosidades da semana. Quando já estávamos bastante alegres pelo efeito da cerveja, resolvi comentar sobre as gracinhas que ele tinha dito pra mim durante a semana . Ele se calou, e de repente se levantou e foi para o banheiro. Achei estranho a atitude dele, e quando voltou , levei um susto , ele estava totalmente pelado. Fiquei sem reação, ele se sentou na mesa e olhando pra mim me disse:
             - Há tempos que venho reparando em você, essa bundinha arrebitada, essas pernas torneadas, essa sua forma delicada de falar, eu tenho experiência de vida, e não me engano, se você ainda não experimentou dar essa bundinha, com certeza você quer provar, e essa é a sua oportunidade.
                   Se levantou e segurando sua pica, bem perto da minha boca, ficou se masturbando bem devagar, espremeu a cabecinha dela, pegou um pouco de porrinha que saia, e passou sou nos meus lábios, com a mão forçou minha cabeça em direção daquele mastro e me pediu pra que chupasse ele bem gostoso. Fiquei paralisado com aquela cena, vendo aquele pau durinho cheio tesão com aquela porrinha que saia, não deu pra aguentar. A vontade que eu fiquei de engolir novamente e sentir o gosto sacana de esperma, foram maiores que as minhas preocupações, com o que ele poderia pensar ao meu respeito.
                  Me aproximei mais, fiquei fazendo um carinho naquele saco que logo fez seu pau levantar de tesão. Devagarzinho fui chupando introduzindo seu pau na minha boca, sorvendo aquele liguido melado e salgadinho. Como seu pau não era grande, uns 14 cm, deu pra colocar ele todo na minha boca. Que delicia era sentir e escutar seus suspiros de prazer, dizia que estava bom demais, elogiava a minha boca e implorou pra que eu fizesse logo um boquete gostoso pois ele estava sem gozar há muito tempo. Comecei então a chupa-lo com maior prazer. Colocava ele todinho dentro da boca e tirava vagarosamente fazendo pressão com meus lábios naquela piroca deliciosa. Cada vez que entrava, ele suspirava me chamando de gostoso, de putinha, de viadinho e até de corno. De repente ele segurou minha cabeça e começou a meter forte e rápido na minha boca , aquela pica dura e melada entrando forte me deu tanto tesão que eu comecei a me masturbar vigorosamente, e quando escutei ele gemendo e depois gritando que estava vindo e que não estava aguentando mais, me senti invadido com aquela quantidade enorme de esperma quente e grosso em toda minha boca, não me segurei mais e gozei como nunca gemendo de prazer enquanto engolia aquele suco de pica delicioso aos poucos.
                        Quando acabamos, ele se levantou, me chamou de putinha gostosa e disse que era pra eu ir pro quarto que ele estava doido pra arrombar todo meu cuzinho apertadinho, e me fazer bem feliz. Já sabendo o que me esperava, juntei a minha porra e o que restou da dele na minha boca, lambuzei e lubrifiquei bem meu cuzinho enquanto seguia ele, fui tirando e largando toda minha roupa pelo caminho em direção ao seu quarto. Quando entramos ele me segurou pelos cabelos com força, deu uns tapas na minha cara , me deitou na mesa de barriga pra baixo e disse:
                     - Abre bem essa bundinha com as mãos que eu quero ver esse cuzinho rosinha e gostoso que eu vou meter minha pica e fazer você gritar de prazer .
                Fiz o que ele mandou e pra deixar ele doidinho, comentei com ele que, como ele sabia que eu tinha o cu gostoso se ele nunca tinha provado. Aquilo deixou ele alucinado, me deu uns tapas na minha bunda, encaixou aquela pica quentinha na minha portinha e falou vou provar agora e te arrombar todinho, seu gayzinho abusado. Forçou um pouquinho e logo invadiu meu cu deixando entrar quase metade daquela pica deliciosa. Doeu um pouquinho, mas dava pra suportar, eu realmente estava louco de vontade de sentir ela entrar toda dentro de mim. Então comecei a incentivá-lo, e disse:
             - Vem Sergio mete gostoso nesse cuzinho que agora é só teu, me fode bem devagar, que eu quero sentir essa pica me arrombando gostoso, vem meu macho enfia tudinho que sou sua putinha e quero ser toda sua , quero sentir seu leitinho entrando e me melando todo por dentro
             Acho que foi demais pra ele, o homen virou um animal e começou e meter rápido e bem forte. Me dava tapas na cara com força enquanto falava:
             - Eu sabia que você gostava seu viadinho , putinho sem vergonha , toma pica que é o que você mais gosta. Eu acho que não vou aguentar mais, teu cuzinho é muito apertado . Tá chegando gostoso, eu vou gozar nesse teu cu arrombado
Aiiii.
               Senti seu pau crescer dentro do meu rabinho e numa estocada forte, ele gozou gostoso e forte dentro de mim. Que delicia, eu também não aquentei me masturbei bem rápido e gozei deliciosamente, sentindo aquela pica entrando e saindo toda melada fácil e gostoso no meu rabo.
                   Ele tirou seu pau do meu rabo e fomos direto pra cama, ele deitou exausto. Meu cu estava todo melado, saindo porra daquela foda deliciosa, doía um pouco mas não incomodava tanto, devia estar todo aberto. Ao lado , Sergio já roncava, ambos estávamos cansados e realizados. Dormi então um sono bem gostoso.
                   Acordei sentindo seu pau tentando abrir e entrar no meu cuzinho. Fingi que continuava dormindo mas ele cutucava e não conseguia meter, entrava nas minhas coxas, resvalava pra cima, mas no entrar no meu buraquinho nada. Sentindo que ele já estava ficando impaciente e eu também, segurei seu pênis, encaixei ele bem na minha portinha e empurrei meu corpo forte pra trás . Como meu cuzinho continuava todo melado, a cabecinha dele entrou fácil . Aproveitei e lhe disse que ele era ruim de acertar num buraco. Ele riu e aproveitou e meteu de uma vez sua pica inteirinha dentro do meu cu. Foi tão gostoso que eu falei que aquilo era uma delicia. Eu estava de lado, por isso a sensação foi muito boa. O importante é que já acordei bem excitado, meu pau estava durinho sentindo aquela pica mexendo gostoso no meu cu. Ele falou que não tinha aguentado de tanto tesão, vendo a minha bunda gostosa a disposição. Disse também que passou o dedo no meu buraquinho e sentindo ele todo molhadinho, quis me comer de novo, e eu dormindo, aumentava mais aquele desejo. Aproveitou me virou ficando por cima, como continuava engatado no meu rabo, enfiou um travesseiro debaixo de mim, deixando minha bundinha mais empinada ainda, e começou a meter bem forte, mandando eu rebolar igual uma putinha safada. O Sergio em cima de mim enfiava forte e suspirava , gemia de tanto prazer cada vez mais alto e logo senti seu gozo quente invadindo novamente meu rabo. Os movimentos que fazia começou a me excitar muito também, meu pau duro ficou esfregando entre o travesseiro e o colchão. Foi tão gostoso que eu gozei sem usar as mãos. Uma delicia , eu me sentia uma putinha dando pro meu macho, que foda gostosa. Aos poucos os movimentos foram diminuindo até que parou, e comecei a morder sua piroca com meu cu. Cada vez que mordia ele gemia dizendo que aquilo era muito gostoso.
                   Me mandou fazer o café enquanto ele ia tomar banho. Fiquei olhando pra ele com aquele pau maravilhoso que ainda continuava semi duro, me aproximei , segurei no seu pau meladinho e lhe disse sussurrando no seu ouvido:
                   - Vai delicia, lava bem essa pica que eu ainda quero colocar ela todinha dentro da minha boquinha e beber esse leitinho quente e gostoso de novo. Vou deixar seu pau limpinho.                     Ele apertou e deu um tapa na minha bundinha e me chamou de viadinho safadinho, e foi tomar banho.
                         Mal ele saiu do banheiro, deitou na cama e me chamou pra beber seu leitinho. Me ajoelhei no chão peguei seu pau fiquei masturbando ele vagarosamente enquanto lambia seu saco. As vezes subia e dava uma chupadinha naquela cabecinha meladinha. Voltava a chupar seu saco e ia com a língua até períneo, perto do seu buraquinho e ficava lambendo delicadamente. A reação dele foi espontânea, gemeu de prazer é claro, disse que aquilo era muito gostoso e levantou as pernas me oferecendo aquele cuzinho virgem. Aproveitei, subi na cama, me deitei de lado , ele se virou também, entrei com a cabeça entre as suas pernas e comecei a lamber aquele cuzinho cheirosinho. Ele gemia de prazer, mas quando eu forcava pontinha da minha língua naquele buraquinho, ele se contorcia e até rebolava um pouco.
                         Quando senti que ele já estava louco de tesão, fiquei em cima dele, passei meus dedos naquela piroca cheia de porrinha, lubrifiquei seu cofrinho, comecei a fazer um boquete delicioso, enfiando aquele mastro todinho na minha boca. Senti que ele abria mais as pernas, levantava o corpo demonstrando a vontade de ser possuído por trás. Comecei então a enfiar meu dedinho vagarosamente naquela portinha que abriu fácil deixando entrar todo meu dedo indicador. Aproveitei e comecei a fazer uma massagem bem delicada na sua próstata. Como ele começou a rebolar novamente em sinal de aprovação, enfiei outro dedo já querendo alargar seu anelzinho, com a outra mão guiei meu pau pra sua boca, que aceitou e começou a suga-lo ferozmente. Era difícil de acreditar que estávamos fazendo um 69 maravilhoso. Aquilo estava incrível, gostoso demais. Aquele macho que tinha me possuído de todas as formas possiveis, estava dando uma de mocinha virgem comigo, agora era a minha vez de tirar o cabacinho daquele cofrinho lacrado.
                            Me levantei , fiquei de frente pra ele, levantei suas pernas bem pro alto, me deitei sobre ele, dei um longo beijo, enfiando minha língua dentro da sua boca. Fiquei com a mão esfregando minha pica que de tão molhada que estava de tesão lubrificava aquela portinha doida pra ser arrombada. Ele já estava tão alucinado pra dar aquele rabinho, que nem pediu pra ser carinhoso, implorou pra que eu metesse logo que ele queria sentir uma pica de verdade tirando o cabacinho dele. Não pensei em mais nada, ele queria me dar gostoso e eu queria comer aquele cu apertadinho e gozar gostoso também dentro dele.
                            Encaixei minha cabecinha naquela portinha e fiquei forçando. Ela era tão fechada que não queria se abrir, pedi que ele forçasse pra fora como fosse soltar um pum, deu certo seu cu abriu e entrou toda a minha cabecinha. Ele deu um grito de dor e eu parei. Ele implorava pra eu tirar, mas fiquei parado dizendo que era normal e que rapidinho seu buraquinho ia se acostumar e parar de doer. Ele parou de reclamar e eu tirei, mas rapidinho enfiei de novo colocando quase metade do meu pau lá dentro. Senti que apesar da dor , ele tinha gostado, tirei ele todo novamente e quando enfiei , entrou tudo de uma vez. Ele suspirou de prazer, perguntei se queria que fudesse ele gostoso. Confirmou com a cabeça, mas me pediu que fosse delicado pois queria sentir muito prazer, sem dor.
                                  Fiquei em pé, puxei ele mais perto de mim e segurando suas pernas no alto, comecei e enfiar e tirar vagarosamente. Que delicia seu cuzinho era muito apertadinho, me deixava louco de vontade de gozar, mas aquentei o quanto pude. Comecei a masturbar ele também bem devagar, parece coincidência, começamos a sentir que o gozo estava chegando ao mesmo tempo, e ele veio bem devagar, dando tempo ir curtindo essa louca vontade de gozar por inteiro. Que delicia que era sentir aquele prazer chegando aos poucos e cada vez mais forte, até que não aguentamos mais , liberamos e gozamos juntos gritando de prazer. Enchi o cuzinho dele de porra com ele dizendo que era muito bom dar o rabinho, enquanto ele melava minha mão de esperma
                                  Acabamos, eu me ajoelhei de novo no chão e dei aquela chupada no pau dele sorvendo toda aquela porra quente e grossa daquele pau ainda durinho, e da sua barriga. Me deitei em cima dele e ficamos nos beijando transferindo porrinha em nossas bocas meladas. Uma cena linda de pura sacanagem.
                              Após tomarmos um banho gostoso, cada um ensaboando o outro bem gostoso, preparei um café e então ele me disse que além de gostoso eu era uma pessoa muito pura, e não merecia o que ele tinha aprontado, e que estava muito arrependido. Pedi que me contasse o porque dessa declaração pois eu não estava entendendo nada. Ele então me contou que tinha transado com a minha ex mulher, e que tinha sido ela que lhe tinha dito que eu gostava as vezes de sentir um consolo no meu rabinho. Isso tinha deixado ele cheio de vontade de me comer , pois havia algum tempo que reparava meu corpo e ficava cheio de tesão em mim, só não sabia como eu reagiria numa possível cantada dele . Fiquei feliz com aquela declaração, mas fiquei decepcionado com ela , pois tínhamos combinado que nunca contaríamos nenhum dos nossos segredos. Ainda bem que tinha sido com ele, e que tinha resultado naquela foda que seria inesquecível pra mim, e principalmente pra ele, pois tinha sido a primeira vez, e como se diz, “A primeira vez, a gente nunca se esquece “ .
                                    Mudei de assunto e perguntei a ele se tinha valido a pena. Me disse que nunca esperava que eu fosse dar a ele tanto prazer, fazia muito tempo que ele não gozava tanto e daquele jeito tão gostoso e agora ele tinha sentido o porquê de eu gostar de dar a bundinha. Aquilo tudo tinha sido uma delicia. Concordei e comentei em tom de piada, daquele macho que tinha até me dado uns tapas quando me comeu e agora, estava todo delicado com cu aberto e cheio de porra gemendo de felicidade. Rimos muito e selamos a nossa amizade.
                                  Claro que continuamos até hoje nos encontrando e fazendo um sexo gostoso. Trabalho noutra empresa, moro sozinho, tenho minhas namoradas, mas sempre que tenho vontade de sentir uma pica metendo gostoso no meu cu, levando uns tapas na cara, ligo pra ele e sei que ele também vai estar me esperando cheio de tesão e vontade de me dar carinhosamente o seu rabinho semi virgem.

Nenhum comentário:

Postar um comentário